Ter ou não ter um investidor?

Investidores podem contribuir para o crescimento do negócio, mas também podem ser sócios desnecessário

Procurar investidores faz parte do ciclo das startups e para muitos empreendedores representa o caminho natural para alcançar o sucesso. Participar de rodadas de negócio, elaborar pitch e buscar investidores anjo faz parte da rotina das empresas iniciantes. Mas será que todo negócio necessita de um investidor?

É possível sobreviver sem investimento

Alguns empreendedores buscam investidores muito cedo e perdem um tempo valioso ao tentar tornar o seu negócio sustentável. Ao invés de dar um grande passo com o incentivo de terceiros, por que não elaborar criativamente uma base sólida para pensar posteriormente em crescer?

Se a sua empresa consegue sobreviver sem um aumento de fluxo de caixa via investimento, siga essa tendência pelo tempo que for necessário. Assim você consegue amadurecer um produto que tenha maior fit com o mercado e dar feedback aos clientes sobre o valor que está entregando. Fazer um produto que já tem mercado crescer é muito mais fácil do que desenvolver o mercado para um novo produto.

Se mesmo assim a sua startup precisa buscar investimento, é melhor você saber com o que gastar.

Planeje o investimento

Burn rate é um indicador importante para startups que utilizam investimento. Ele mostra o quão rápido o dinheiro é gasto e a conta bancária diminui. Muitos empreendedores, ao conseguirem investimento, assumem um risco alto de ter uma taxa de gasto elevada. O pior é que nem sempre esse gasto está relacionado a itens e atividades necessárias.

Antes mesmo de pegar o investimento, o empreendedor deve fazer o plano de gasto: onde cada centavo será investido e, principalmente, qual o retorno desse dinheiro. Alocar verba para atividades produtivas e de prospecção representa mais chances de retorno. Quanto mais o negócio vender, mais sustentável será, sem que o caixa dependa do investimento.

Quando o investidor é um sócio necessário

O benefício do investimento pode se tornar um problema porque, na maioria das vezes, o  investidor troca o incentivo por equity, ou seja, por uma fatia da empresa. Dessa forma, o empreendedor fica com mais uma preocupação em mãos: além de atender os clientes, se relacionar com os fornecedores e cuidar da sua equipe, precisa prestar contas para mais um sócio. Isso não será um problema se você conseguir selecioná-lo bem, optando por um investidor capaz de agregar à sua empresa conhecimento de mercado e novas redes e contatos. Abrir mão de uma parte da sua empresa só é necessário se esse capital a mais aumentar o ritmo de crescimento do negócio (aumentar em níveis muito maiores do que sem o capital).

Será que todo empreendedor deve buscar um investidor? Já entendemos que não. Olhe para o seu caixa e seus recursos. Se o investimento não for planejado e não trouxer o crescimento necessário, não se preocupe com isso. Conseguir levantar um negócio sem investimento te dará muito mais confiança em empreendimentos futuros. E, quando quiser ter um investidor, ele terá um novo olhar sobre você.

Tags

Comentários