Acreditar no impossível é empreender

Nenhuma tendência ou especialista previu as inovações tecnológicas dos últimos tempos. Empreender, então, seria acreditar no que todo mundo não acredita?

impossible

Encontrar uma oportunidade, achar uma equipe, levantar investimentos, criar um modelo de negócio, testar, pivotar, criar outro modelo de negócio. Passar por todo esse processo sem dinheiro nem tempo, e não desistir de uma ideia é o bastante para taxar os empreendedores de sonhadores, loucos e cabeças-duras. Mas talvez isso não seja suficiente para aqueles empreendedores fora da curva que, mais que acreditar em um sonho, acreditam no impossível.

Acreditar no impossível significa acreditar em uma tecnologia disruptiva, em uma grande inovação (sabendo que inovação altera o comportamento). Até a década de 40, desenhos animados não tinham mais de 3 minutos. Walt Disney acreditava em fazer um desenho com 90 minutos para passar no cinema; e assim surgiu um dos maiores clássicos. E quem acreditaria conseguir mudar completamente uma indústria tão forte quanto a da música? A Apple acreditou no impossível.

Ficaram para trás em todas essas histórias os experts e as tendências que se baseiam no passado e ignoram essas mudanças disruptivas. O avanço cada vez mais acelerado da tecnologia e do conhecimento mostra que tirar o foco de opiniões conservadoras e contrárias é o caminho para um empreendedorismo de alto impacto. Ninguém consegue mais predizer o futuro de negócios. A referência para o futuro, então, torna-se acreditar no impossível. Perseguir o impossível pode levar o empreendedor a encontrar uma grande oportunidade de mercado e construir um negócio de alto impacto quase que sozinho; afinal de contas, como diria o próprio Walt Disney “eu prefiro o impossível pois lá a concorrência é menor”.

Tags

Comentários