A Startup Enxuta III – O crescimento sustentável (e rápido) da Startup

Startups são referência em produtos inovadores, mas e quando o assunto é construir um negócio que cresce de forma saudável e continuamente?

Este é o terceiro e último artigo de uma série que trata os conceitos em torno do movimento da Startup Enxuta, conceito desenvolvido por Eric Ries e popularizado em seu livro A Startup Enxuta – The Lean Startup.

No primeiro artigo, mostramos a importância do foco no Desenvolvimento de Consumidores. No último artigo explicamos o core da metodologia da Startup Enxuta, o ciclo Construir – Medir – Aprender, e a sua importância na validação de hipóteses.

Neste artigo, para finalizar a série sobre o tema, abordaremos como as startups podem crescer de forma sustentável sem sacrificar a agilidade que faz parte do seu mercado e mantendo uma forte cultura de inovação.

Em pesquisa realizada pela Fundação Dom Cabral, 25% das startups fecham as portas no primeiro ano por erro de gestão. Será que os empreendedores são capazes de criar soluções inovadoras mas não são capazes de desenvolver negócios sustentáveis?

Assim como no desenvolvimento dos clientes e na criação de produtos pelo ciclo do Construir – Medir – Aprender, para a aceleração de uma startup também se utiliza o pensamento lean: quais atividades agregam valor e quais são desperdício de tempo e esforço? Os empreendedores devem entender que o valor de uma startup não é a criação, mas validar o aprendizado de como construir um modelo de negócio sustentável. A habilidade de aprender rápido a partir dos seus clientes é a vantagem competitiva das startups.

Mas qual mecanismo promove esse crescimento sustentável da startup? No A Startup Enxuta, o autor fala que crescimento sustentável é atrair novos clientes a partir do resultado de ações com clientes atuais. Ele também cita três tipos diferentes de motores de crescimento:

Modelo de retenção: o crescimento vem da atração de clientes por períodos longos. A expectativa é que, depois de começar a usar o produto, o cliente continue utilizando por muito tempo. Neste caso, o crescimento sustentável vem a partir do momento que a taxa de aquisição de novos consumidores é maior que a fração de usuários que deixaram de ficar engajados com o produto.

Modelo viral: como o próprio nome já diz, neste modelo o conhecimento sobre o produto se espalha rapidamente. Não é o cliente que divulga no boca-a-boca o produto, mas o crescimento é automático como efeito colateral do próprio uso. A métrica importante nesse modelo é o coeficiente viral: quantas novas pessoas irão utilizar o produto como consequência da utilização de um novo cliente.

Modelo pago: neste caso, o cliente paga pela utilização do produto ou uma assinatura periódica. A métrica importante nesse caso é o custo para se converter um novo cliente.

Aprender a focar nas métricas e estratégias importantes em cada modelo é fundamental para a gestão da startup. Entender o modelo de crescimento certo para o seu produto permite um feedback rápido sobre o negócio. E manter a agilidade e a capacidade de inovação das startups é o maior objetivo do movimento da Startup Enxuta.

 

Referência:

The Lean Startup, Eric Ries 2011

 

Leia também:

A Startup Enxuta I

A Startup Enxuta II 

Tags

Comentários